Marombeiro ou Intelectual? De que lado você está?

Quando se fala em “Marombeiro“, algumas pessoas pensam em alguém cheio de músculos e sem muito cérebro. Já o intelectual é dito como sedentário preguiçoso incapaz de conquistar objetivos.

Mas afinal, quem ganha essa discussão?

Maromba Inteligente

O que é ser Marombeiro?

Dependendo da pessoa a quem se pergunte isso a definição será bastante diferente, mas creio que seja senso comum que um maromba seja alguém que frequente a academia quase todos os dias (conhecido também como rato de academia) em busca da construção de um corpo diferente; que dedique horas estudando novos treinos, técnicas, dietas e suplementação; alguém que leva marmita ao trabalho ou estudo para garantir que vai bater os seus macros; que não beba, fume ou durma tarde; ou alguém que deixa de comer aquela pizza com os amigos pois falta muito para o seu dia do lixo. Até aqui acho que todos concordam, mas cada um tem uma pitada de opinião a mais a respeito do que é ser marombeiro.

De elogio à ofensa, essa palavra percorre a internet em discussões árduas a respeito dos prós e contras, fatos e boatos, vergonha e orgulho. Para alguns, toda essa dedicação pode ser percebida como obceção com a vaidade, para outros, no entanto, essa dedicação é uma fonte de inspiração e um exemplo a ser seguido. O preço de um corpo mais bonito é caro demais para alguns pois é preciso abrir mão de muita coisa saborosa, incluindo a preguiça que é o caminho infinitamente mais fácil. Para os “marombas”, treinar é a parte mais prazerosa e o restante se paga pela satisfação de se conquistar objetivos.

Mas e quanto à fama de marombeiro ter pouca cultura? Talvez isso se deva ao fato de que, desde o início dos tempos, os homens mais fortes normalmente trabalhavam em serviços mais pesados, em que o uso da força era necessário diariamente. Pessoas que trabalham neste tipo de emprego na maioria das vezes não estudaram e por isso não conseguiram outro tipo de trabalho.  O que ocorre é que a maior parte das pessoas que dedicam a vida ao seu corpo (os marombas), seja por razões profissionais ou simplesmente estéticas, não consegue se destacar em outra área, como por exemplo seu intelecto. Claro que isso não é demérito, é apenas uma questão de escolha, significa apenas que não é possível assobiar e chupar cana ao mesmo tempo, portanto quem se destaca em uma determinada área raramente tem tempo de se destacar em outra.

Curiosidade: Marombeiros tendem a ser de direita!

Que intelectuais são normalmente de esquerda não é novidade (se não sabia, leia isto), mas uma pesquisa dinamarquesa* concluiu algo que assevera as diferenças entre intelectuais e marombeiros.  Segundo a pesquisa, ao dedicar-se aos exercícios físicos, ao cuidado com o corpo e a longevidade de sua vida, o maromba passa a entender que o coletivismo pode ser prejudicial para a sociedade, sobrecarregando pessoas que trabalham mais e beneficiando cidadãos mais encostados.

Maromba Old School

Também conhecido por Abomai, o Marombeiro Old School é uma vertente mais conservadora de marombeiro, que é aquele que segue os princípios mais primórdios do Bodybuilding. De acordo com o Blog Old School Maromba, a definição de marombeiro Old School é: “um estilo de vida, que, assim como o Bodybuilding, domina sua rotina e seus pensamentos. Viver para o ferro, para o seu corpo, sempre! Quem é entende, quem não é, vai entender se acompanhar o site!”.

Nasser El Sonbaty site Old School Maromba

Mas e o intelectual?

O intelectual é uma pessoa que se dedica principalmente ao cultivo do conhecimento, do intelecto na sua atividade teórica e do pensamento; é alguém que usa o seu intelecto para estudar, refletir ou especular acerca de idéias, de modo que seu intelecto possua uma relevância social e coletiva. Normalmente é caracterizado por direcionar sua vaidade no campo intelectual em detrimento ao campo físico, o que o significa que normalmente é uma pessoa muito magra ou muito gorda, mas sobretudo raramente de porte atlético ou musculoso.

No sentido adjetivo da palavra, todos nós somos mais ou menos intelectual, afinal todos nós em algum momento de nossas vidas estudamos, refletimos e pensamos (no sentido de meditar). Assim como eu acredito que todos nós, inclusive os mais intelectuais, somos mais ou menos marombeiro. A preocupação com a saúde e os hábitos alimentares é assunto em pauta na atualidade, o que faz com que até mesmo os mais intelectuais busquem maneiras de melhorarem a vida e forma física, imitando, assim, comportamentos de marombeiro.

Dado o cenário nota-se, então, um aumento na busca de academias por pessoas iniciantes, com objetivos e pensamentos diferentes (às vezes opostos) dos marombeiros. Sobretudo em países tropicais como o Brasil, onde se usa pouca roupa no verão devido ao calor, as pessoas costumam visitar a academia nos meses que antecedem o verão, irritando os marombeiros que sentem seu espaço invadido. Gera-se então um conflito de culturas e pensamentos, cada lado julga o outro deliberadamente, o que é totalmente natural do ser humano (infelizmente). O marombeiro recebe o rótulo de “burro” e o intelectual de “frango“, que é uma gíria usada comumente para definir alguém iniciante na musculação, normalmente de porte físico magro ou gordo demais.

No entanto, há quem diga que frango ou marombeiro não tem peso ou porte físico específico, apenas atitudes. Uma pessoa magra ou gorda que se dedique o ano inteiro na luta contra a balança pode ser considerada uma marombeira, assim como um musculoso que entrou na academia há alguns meses e se entupiu de esteroides anabolizantes pode ser considerado um frango de academia por querer resultados rápidos e sem esforço.

Preconceito

O preconceito faz a sua parte, marcando presença em ambos os lados. O marombeiro acha o frango um preguiçoso que não consegue seguir metas e quer resultados grandes em pouco tempo. O frango de academia acha o marombeiro movido pela vaidade e superficial demais para perseguir outra coisa.

Quando existe um grupo de pessoas compartilhando os mesmos interesses e opiniões, é natural que se crie um instinto territorialista onde terceiros não são bem-vindos. Isso também acontece em algumas academias, além de fóruns e grupos sobre musculação onde a chegada de um novato é motivo para demonstrações de intolerância. Se você quiser saber tudo o que eu penso sobre a intolerância que alguns marombeiros bitolados praticam, assista a este vídeo do Jason do Projeto Giga:

Por outro lado, existe também a intolerância contra os marombeiros que se encontram em outro ambiente onde os costumes são diferentes, como quando ele/ela abre uma marmita em público, fica parecendo que se trata de uma bomba. Falando em “bomba”, o termo “bombado” ultimamente está sendo tão usado que se confunde com “maromba“, como se todo marombeiro usasse “bomba” (no sentido de esteroides anabolizantes). E as piadinhas preconceituosas de que marombeiro tem impotência sexual, pinto pequeno, câncer, etc.? Frases como “a barriga é de tanquinho mas a torneira não funciona“, “bonito por fora e podre por dentro” ou “o que sobra em músculos falta em cérebro” são exemplos não raros de manifestações preconceituosas.

Enquanto muitos criticam as pessoas que investem tempo e dinheiro na construção de um corpo perfeito, dizendo que tudo isso é material e irrelevante, outros defendem que isso é mais do que vaidade ou esporte, é filosofia de vida. Há quem diga que se treina muito mais a mente do que o corpo quando se entra na rotina maromba.

“É tão natural destruir o que não se pode possuir, negar o que não se compreende, insultar o que se inveja.” Honoré de Balzac

Vou deixar aqui um vídeo antigo do Scarpelly onde ele fala a respeito das críticas que recebe dos intelectuais de plantão:

Conclusão

Afinal, quem está certo? Quando se fala em preconceito e intolerância, não existe um lado certo. O certo mesmo é que um depende do outro! Os que criticam a maromba em algum momento de suas vidas acabam indo na academia aprender e praticar técnicas que só foram desenvolvidas por algum marombeiro que estudou a fisiologia do movimento e descobriu uma maneira mais eficiente de executar o exercício. Muita gente fala que marombeiro é burro mas vai para a academia fazer Rosca Scott, isso é no mínimo uma contradição.

E os marombeiros que reclamam que a academia está lotada de frangos, deveriam agradecê-los por fazer da academia um negócio viável para o seu dono. Ou será que eles acham que uma academia se sustentaria apenas com os seus marombeiros? Sem contar a indústria da suplementação, que só é tão lucrativa porque a maioria de suas vendas é para usuários esporádicos, aquela pessoa que alguns chamam de “frango de verão“. São estes “frangos” que sustentam pesquisas para desenvolver novas fórmulas, novas drogas, novos produtos, etc. Inclusive tem muito intelectual realizando pesquisas científicas e difundindo informações valiosas para que os marombeiros possam obter melhores resultados. Portanto, meus amigos, entendam que um não existe sem o outro, e criticar os diferentes é atestar a própria ignorância. Concordam? Comentem.

 

*The Ancestral Logic of Politics. Upper-Body Strength Regulates Men’s Assertion of Self-Interest Over Economic Redistribution. Michael Bang Petersen e outros, Universidade Aarhus. Artigo completo: http://pss.sagepub.com/content/24/7/1098.

Posts Relacionados:

8 Comentários

  1. 1

    Por que não ambos?

  2. 3

    Platão era conhecido por ser um exímio lutador. Aliás, Platão significa algo como “ombros largos”. Era um MONSTRO nas duas vertentes rsrsrs. E não é demais recordar que na Grécia do século III A.E.C. já temos os gérmens do bodybuilding? Abraços, parabéns pelo site.

  3. 5

    Eu sou os dois! Dá para conciliar trabalho intelectual e cuidado físico!

  4. 6

    Exatamente, e possivel conciliar as duas coisas. Exemplo disso e Nasser El Sonbaty varias vz finalista do mr olympia, poliglota e com mais de uma formacao superior, o proprio Frank Zane tambem.

  5. 7

    Interessante sua iniciativa nesse site, mas por minha experiencia pessoal nao existe diferenca entre a pessoa que quer ser marombeira ou a que quer ser intelectual. E tudo uma questao de administracao do tempo, de disciplina e de habito com objetivo. A diferenca esta sempre na postura. Voce pode fazer um treino muito bom e intenso utilizando 45 min sem ficar perdendo o foco da mesma forma que tambem pode ser o primeiro em um curso ou tirar alguma certificacao, desde que estude com afinco e com objetivo. Um atividade ou hobby nao determinam a personalidade ou intelecto do ser humano e sim sua vontade. Eu treinava serio, fazia pos, tirei duas certificacoes na mesma epoca e ainda trabalhava como lider de projeto, e nao me considero burro e nem ainda preguicoso. Acho que voce precisar rever os seus conceitos nesse artigo pois e uma opniao sua e nao a pura verdade. Seres humanos sao unicos e essa generalizacao baseada em fatos que nao representam o comportamento do todo, em minha humilde opniao, nao procede. Boa sorte.

    • 8

      Olá, Wendel! Obrigado por relatar a sua experiência e ponto de vista. Não entendi exatamente onde discordamos, mas a vida é longa, opiniões mudam…

      Abç!

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios marcados *

Você pode utilizar os seguintes caracteres HTML e os seguintes atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>